Tudo sobre relógio de ponto

Diante de tantas indefinições é decretada a inexistencia de pequenas e medias empresas que atuam como revenda de relógios de ponto. Pois, seus diretores, veem seu faturamento cair e suas despesas aumentarem a cada dia.

O que dá entender que o ministro do trabalho não entende, que falência de empresas gera desemprego e misseria.

Não sou contra a organização e mudanças no sistema de ponto eletrônico, o que eu não concordo é com a ¨brincadeira de cabo de guerra¨ que esta sendo feita com os fabricantes, revendedores de REP e o consumidor final.

Comentários do Leitor Carlos César em 13-02-2011

Verdade, Carlos César! Quanta confusão! Quanto prejuízo!

Você que provavelmente representa uma empresa que revende, instala e presta manutenção em relógios de ponto sabe bem o que ocorreu nestes quase um ano e meio de publicação da portaria 1510.

Primeiro o MTE publica esta medida sem o menor diálogo.

Depois vê-se que há problemas de ordem técnica com as definições do novo produto inventado pelo MTE, indicando que os novos REP provavelmente não são a melhor opção para as empresas.

De início, os fabricantes (todos) reclamaram. Depois, (nem todos)  ao invés de apontar os problemas e falhas, silenciaram.

Surgiram os órgãos certificadores, e,  ”um jeitinho” para validar os REP. Mesmo sem norma técnica, mesmo alheio às práticas do Inmetro, mesmo cientes de que estas certificações seriam questionadas mais tarde.

E é justamente este produto com tantos questionamentos, que os revendedores de relógio de ponto tem para ofertar a seus clientes.

E aí temos uma situação incômoda:

O revendedor é justamente aquele empresa que está próximo ao cliente. É quem efetua a venda, instala e presta assistência técnica. É aquele em quem o cliente confia.

  • Vender um REP sem saber dos problemas é mostrar a seu cliente que não entende suficientemente bem do produto que vende.
  • Vender um REP sabendo dos problemas, é mostrar a seu cliente que não merece sua confiança.
  • Não vender é ceder terreno ao concorrente ou desistir de tudo.

O que fazer?

O revendedor de relógios de ponto se vê “objeto de uma brincadeira de cabo de guerra”:

De um lado os fabricantes dizendo: venda o REP! –   De outro, os interesses de seu cliente.

Mas a brincadeira não pára por aí não…

O MTE disse que o REP não pode ser acessado por terceiros.

Art. 17. O fabricante do equipamento REP deverá fornecer ao empregador
usuário um documento denominado “Atestado Técnico e Termo de Responsabilidade”
assinado pelo responsável técnico e pelo responsável legal pela empresa, afirmando
expressamente que o equipamento e os programas nele embutidos atendem às
determinações desta portaria, especialmente que:

IV – possuem dispositivos de segurança para impedir o acesso ao
equipamento por terceiros.

O revendedor é um terceiro. É o revendedor quem efetua a venda, instala e presta assistência técnica. É aquele em quem o cliente confia…

O revendedor agora é carta fora do baralho?

8 Respostas to “Brincando com o Revendedor? Relógios de ponto eletrônico-Portaria 1510”

  1. carlos cesar

    on março 9 2011

    Olá eu poderia dizer ou perguntar (tudo bem?). Mas não sou do tipo que tenta tapar o sol com peneira, mas também não fico chorando as mazelas que são impostas por pensadores de se proprio.
    Tai a nova Prorrogação do prazo para as emprezas se adequarem a portaria 1.510. Se podemos chamar isso portaria benefica como foi anuciada, ou eu estou enganando a me mesmo ou não estou vivendo a realidade atual. pois como falei antes vamos começar a ter demissão, dividas impagaves, e pequenas e medias emprezas dentro de um atoleiro sem saida. Dai não é só a vaca que vai para o brejo, é o empressario que vai a falência o trabalhador que perde o emprego,as dividas que almentão, o filho que passa fome e a misseria que se alastra. Mas em fim tudo bem, os que pensão só em se não vivem de… nem trabalham como revendedor de relogios de ponto eletrônico então tá tudo bem quem, sabe quem sabe os revendedores de rep entram num programa de auxilio (tal vez o bolça familia).

    Volto a dizer não sou contra a regularização do sistema de ponto eletrônico e nem tenho nada contra o bolça familia, mas me recuso a viver na misseria pós não é justo que os que lutam tanto pra manter sua familai e a de outros com empregos sejam tão prejudicados e tratados com tanta falta de importância por quem deveria dar todo apoio ao criador de empregos. Eu particularmente me sinto como uma bola de isopor dentro de uma maquina de fazer vento. espero não cair no brejo.

    obrigado por permitir o meu desabafo.

    Att:Carlos Cesar

  2. autor

    on março 9 2011

    Carlos,

    Sabemos bem o que está passando e nos solidarizamos.
    Você é uma revenda de relógios de ponto, não de REP. O REP prejudica empresas como a sua porque praticamente impede seu trabalho de assistência técnica, face às restrições “a terceiros” constantes na Portaria.
    Por isto brigamos tanto, aqui neste site. Pelo direito de você continuar vendendo, de vender um produto que conhece (sem mistérios), que você possa continuar a prestando serviços técnicos pós-venda nestes equipamentos sem estar “infringindo regras”.

    Aqui vai um convite: Nos ajude a mostrar tudo o que está ocorrendo com empresas revendedoras após a 1510. Participe conosco e nos ajude a divulgar este site.

  3. Fabrício

    on abril 7 2011

    Estava pesquisando na net, problemas, reclamações, dificuldades, defeitos, relacionados ao relógio de ponto. E achei incrível não encontrar até agora, nenhum site, mandando ver nessa loucura que esta acontecendo. Nenhum dos relógios ponto homologados, apesar de atenderem totalmente a portaria, funcionam 100%. Uns com problemas de rede, outros com problemas nas impressoras, outros com problemas de suporte, e peças de manuteção, e isso de não poder dar a manutenção local é um absurdo… Qualquer coisa tem que levar no mínimo 20 dias de espera, sem ponto… Meu Deus… Alguém dessa port(c)aria parou pra pensar na parte prática da coisa.
    É brincadeira mesmo o que estão fazendo com as revendas… RESOLVI EM RESPEITO AO MEU CLIENTE PARAR TOTALMENTE COM A VENDA DE REPS, seja qual fabricante for…
    Parabéns pela iniciativa de publicar algo a respeito.
    Grato

  4. autor

    on abril 8 2011

    Fabrício,

    Nenhum fabricante de REP se dispôs até hoje a abrir o jogo para seus revendedores e clientes.
    O REP é um engano. Você não sabe disto, mas nenhum deles atende 100% à portaria. Isto ficou claro por declarações feitas em audiência ocorrida na Câmara dos deputados em 06-04-2011.
    Sai perdendo enormemente quem confiou nele.

    Convidamos você a se inscrever na parte contato do site e nos ajude a manter este site. Sua contribuição é importante.

  5. Alexandre

    on abril 27 2011

    Parabéns pela iniciativa, mas gostaria de afirmar que muitos preferem o tão famoso preço.
    Consegui através de uma empresa, LOCAÇÃO de Relógio de Ponto, onde não tenho que pagar um absurdo por um equipamento de qualidade e a manutenção abrange até a troca do equipamento.

    Também tive problemas, mas consegui a solução.

  6. autor

    on abril 28 2011

    Alexandre,

    Creio que não compreendeu nossa posição.
    Defendemos aqui que os consumidores possam ter acesso a preços mais baixos e também a várias formas de contratar este produto, incluindo a locação.
    No entanto, amigo, a Portaria 1510 promoveu uma interferência no mercado que consideramos absurda.

    Veja a resposta completa de sua pergunta em: http://www.relogio.deponto.com.br/ponto-eletronico-e-possivel-alugar-um-rep-conforme-portaria-1510-2/

  7. nilson

    on agosto 23 2011

    pessoal, achei que o problema era minha empresa, mas to vendo que é com todos, não existe uma porcaria de REP que funcione 100%, tenho que andar 300 a 400 km para apenas retirar o equipamento e mandar pro fabricante pois não tenho autorização de simplesmente ajustar um leitor, o cliente fica 5 a 10 dias sem o equipamento que ca entre nós pagou uma fortuna tendo em vista os valores praticados antigamente, pois não podermos nem deixar um simples backup, e agora vem depois de meses de transtornos dizer que pode mudar tudo em cima da hora, e os investimentos que foram feitos, quem vai devolver o dinheiro para os clientes, quem vai ressarcir as revendas, que merda de PORTARIA, criou-se sem pensar, sem ouvir quem realmente entendia do negócio e agora tem um tremendo abacaxi para descascar e adivinha quem vai pagar por issoo???

  8. Anderson

    on agosto 23 2011

    Bom sou representante de quê? REP? Já estou começando achar que isso é folclore. Trabalho desde 2007 com controle de ponto, e minha vida mudou drasticamente após agosto de 2009 com a divulgação da portaria 1.510. Na época sem informações precisas para passar para os clientes, precisava me virar como podia para ligar (gastar fone Local e DDD0 para NÃO! vender o controle de ponto, mais poder dar uma posição para o cliente sobre a situação que se encontrava a mudança, pois o cliente não quer saber, ele que informação, e se não prestamos, perdemos eles mesmo sem ter ganhado ainda, falar o que sabia pouco para quem não sabia de nada, era muita incerteza, todos os dias atrás de informações sobre o REP para poder passar para essas empresas, mas acreditando que a portaria realmente entraria em vigor em 08/2010. Vem sendo um tempo difícil pra mim, e para muitos que trabalham no setor. Minhas contas cada vez mais acumulando, acabo de chegar do pátio onde mais uma vez o governo me F*, pois se não paguei meu licenciamento que venceu o mês passado, não é pq não quis, foi pq estou esperando uma definição dessa “port(c)aria” como andam dizendo. Fôlego em um país onde só se da bem quem não anda na lei e os que mandam nela, esses não fazem questão nenhuma de analisar o impacto de cada medida impensada.

Comment RSS · TrackBack URI

Deixe um comentário

Nome: (Obrigatório)

Email: (Obrigatório)

Website:

Comentário: