Tudo sobre relógio de ponto

Ponto eletrônico dificulta continuidade de Lupi no ministério do Trabalho

por Angela Pimenta no PORTAL EXAME

Apesar do imbróglio causado pela criação — e posterior suspensão pelo presidente Lula —  de uma portaria obrigando as empresas a adotar o ponto eletrônico na aferição da jornada de trabalho dos funcionários, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, do PDT, já se movimenta para permanecer no cargo num eventual governo Dilma Rousseff.

Hoje, o principal trunfo de Lupi junto a Lula e Dilma é a gratidão de ambos por sua atuação decisiva na campanha, tendo trabalhado para convencer seu colega de partido e senador Osmar Dias, a se candidatar ao governo do Paraná.

Através dessa manobra, arquitetada por Lula, Lupi ajudou a implodir a candidatura do senador Álvaro Dias, irmão de Osmar, que seria vice na chapa do tucano José Serra.

Mas por outro lado, em função do ponto eletrônico, Lupi, um sindicalista de carreira, acabou se desidratando tanto com Lula, quanto com Dilma – para não falar do setor privado.

Na bolsa de especulações sobre o futuro do ministro, diz-se tanto que ele poderia continuar à frente do ministério, como ser removido para uma pasta com menos visibilidade — e menor potencial de atrito com o setor empresarial.

Se Dilma ganhar a eleição e se Lupi permanecer no cargo, certamente ele irá insistir pela entrada em vigor do ponto eletrônico, agora prevista para março.

Tal cenário implicaria uma bela trombada entre o Planalto e o setor privado, logo no início do novo governo.

Mas se Lupi não estiver no ministério, a ideia do ponto eletrônico obrigatório poderia simplesmente caducar…

 

 

 quinta-feira, 26 de agosto de 2010 – 9:17

Deixe um comentário

Nome: (Obrigatório)

Email: (Obrigatório)

Website:

Comentário: