Tudo sobre relógio de ponto

Empresas alegam que novo ponto vai quebrar confiança entre partes

Publicado em 29/08/2010 pelo Correio Popular.

“Para patrões, sistema ameaça a confiança entre as partes”

Já sindicatos acreditam que empregados só têm a ganhar com o novo ponto

Os sindicatos patronais criticam a nova regulamentação sobre o ponto eletrônico porque acreditam que a medida pode quebrar a confiança entre patrão e empregado. Toda a confiança conquistada nos últimos anos entre empregados e empregadores, de horas extras e cumprimento da jornada de trabalho, será quebrada com esse sistema. Além disso, há uma acusação generalizada de que os patrões fraudam os pontos eletrônicos, o que não é verdade , disse a presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Campinas (Sindivarejista), Sanae Murayama Saito.

Toda a polêmica fica por conta da emissão de comprovante impresso com o horário de entrada e saída, que ficará com o funcionário. A empresa terá o controle dos registros por relatórios e arquivos digitais, que deverão ser apresentados à fiscalização do trabalho.

Porém, com tudo isso, vamos ter de adotar a volta de um fiscalizador dentro da empresa, para verificar se o trabalhador estará no seu posto, cumprindo com as obrigações , disse a representante patronal. Quem não se adequar, poderá ser multado em até R$ 17 mil.

Além disso, há outro ponto questionado sobre as horas extras que poderão ser geradas na fila do ponto. O raciocínio é de que se todos os funcionários saem no mesmo horário, haverá fila e os horários não serão os mesmos, podendo gerar horas extras sem trabalho.

Então todos vão querer ser o último da fila, para passar o ponto por último e ganhar horas extras. Não haverá confiança na relação , disse Sanae. Outra questão é sobre o preço do equipamento, que pode ser elevado para uma empresa de pequeno porte com 11 funcionários ou uma grande empresa, que terá de comprar mais equipamentos.

Ganhos

O coordenador da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Campinas, José Tavares Gomes, disse que o trabalhador só terá ganhos com o novo sistema. Será a forma de ele controlar seus horários na empresa , disse. No entanto, ele demonstrou preocupação com o comprovante. Serão muitos comprovantes por mês, e armazenar isso pode ser complicado. Acho que as empresas podem informar mensalmente os horários dos pontos, sem que isso desrespeite a legislação , disse.

De acordo com Gomes, a CUT e outras centrais sindicais vão negociar com o Ministério do Trabalho e Emprego para que, além das questões da portaria, seja garantido o respeito aos acordos coletivos existentes. É importante inibir as fraudes, mas é preciso garantir que os ramos em que se tem uma organização sindical de base, em que se negociou nos acordos coletivos formas diferenciadas de registro de ponto, sejam respeitados , disse. (Venceslau Borlina Filho/AAN)

O NÚMERO 11 EMPRESAS

Estão credenciadas no Ministério do Trabalho e Emprego para fornecer os novos pontos eletrônicos

Deixe um comentário

Nome: (Obrigatório)

Email: (Obrigatório)

Website:

Comentário: