Tudo sobre relógio de ponto

Para evitar fraudes no registro do horário de trabalho nas empresas, o Ministério do Trabalho editou uma portaria que regulamenta o uso das máquinas de ponto eletrônico. Apesar de o sistema ser eletrônico, toda entrada e saída de funcionário deverão ser impressas em papel — uma espécie de recibo com durabilidade de cinco anos. A nova regra também proíbe correção ou inserção posterior de registro, prejudicando os empregados que exercem funções externas. O curioso é que a burocratização pode ser inócua quanto ao que se propõe. Como o uso de ponto eletrônico não é obrigatório, bastará a quem quiser fraudar a jornada continuar com as máquinas mecânicas ou usar o ponto manual. Quem quiser cumprir a lei e usar ponto eletrônico terá de enfrentar mais essa complicação.

Fonte:
Portal Exame

Deixe um comentário

Nome: (Obrigatório)

Email: (Obrigatório)

Website:

Comentário: